Pecuaristas relatam dificuldade para encontrar vacinas contra febre aftosa na região

Escrito por em 26/11/2021

Em razão de problemas na distribuição da vacina em todo o estado, que tem afetado o Sul de Minas, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) autorizou a prorrogação da vacinação contra a febre aftosa em Minas Gerais para até 20 de dezembro. O anúncio foi feito nesta sexta-feira, 26.

Pecuaristas da região estão relatando dificuldades para comprar vacina que ajuda na proteção de muitos rebanhos contra a doença infecciosa. De acordo com um pecuarista de Varginha (MG), ele teve que andar por toda região para comprar mais de 100 vacinas para imunizar o gado, até que encontrou em Carmo da Cachoeira com a ajuda de um amigo.

“Em Varginha nós não encontramos uma loja que vende o produto. E o problema em vez de ser solucionado está agravando mais. Final de 2020 já faltou um pouco. Começo de 2021, que você vacina todo rebanho, foi muito difícil encontrar. Agora, todos os lugares que procurei na região não encontrei. Aí meu amigo, que mexe com gado pra mim, falou que em Carmo da Cachoeira tinha um pouquinho, ele foi e comprou pra nós. Acabou que demos bastante sorte, vacinamos o gado em tempo hábil, mas não sei se março do ano que vem o que vai acontecer”, disse o produtor Donizete Ribeiro.

Como a legislação determina que o pecuarista possa declarar a imunização até 10 dias após o término da campanha, este procedimento também foi adiado, ou seja, o produtor mineiro poderá declarar a imunização de bovinos e bubalinos de zero a 24 meses até 30 de dezembro.

A expectativa é que sejam vacinados cerca de 10 milhões de animais. A compra de vacina em estabelecimentos comerciais da iniciativa privada poderá ocorrer até 20 de dezembro, dentro do novo prazo acordado com o Mapa.

Fiscalização do IMA

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), vinculado à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), gerencia e fiscaliza a campanha junto aos pecuaristas em todo o estado com o objetivo de preservar a sanidade dos rebanhos e manter o compromisso com o agronegócio mineiro.

A ampliação do prazo e remanejamento de doses das vacinas foram avaliados e autorizados pelo Mapa a pedido do IMA e entidades representativas do setor, em Minas, pelo Sistema Faemg, sindicatos rurais e associações de criadores de animais.

A diretora-técnica do IMA, Cristiane Santos, esclareceu ao pecuarista que estão reclamando, que não há falta de vacina, mas que o problema está na distribuição em algumas regiões do estado.

“Nesta etapa, Minas Gerais já tem disponível 13 milhões de doses de vacina para um rebanho vacinável de 10 milhões de animais. Estamos articulando com a iniciativa privada, revendedoras e Mapa para melhorar a logística. O Sistema Faemg, os sindicatos rurais e a Emater-MG também são nossos parceiros e orientamos os produtores para que não deixem de imunizar seus animais. Caso tenha dificuldades em adquirir a vacina em sua região, o pecuarista deve recorrer a municípios próximos e, para esclarecer quaisquer dúvidas, os escritórios do IMA estão à disposição”, aconselhou.


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]